O Grupo Segura está com você
Com mais de 20 anos de atuação, o Grupo Segura, bem como asseio e conservação, e terceirização de serviços administrativos.


Blumenau

SEGURANÇA PRIVADA
Rua João Pessoa, 3.152
CEP 89036-004
47 3035 8009

SERVIÇOS
Rua Dr. Antônio Haffner, 389<br/>
CEP 89036-640<br/>
47 3035 4000

365 dias por ano

Atendimento 24 horas por dia

47 3035 8000

adm.comercial@gruposegura.com.br

Topo
 
Grupo Segura > Limpeza e Conservação  > 1 ano de pandemia: o que aprendemos sobre higienização de ambientes?
higienização de ambientes

1 ano de pandemia: o que aprendemos sobre higienização de ambientes?

Locais devidamente limpos e seguros para a não disseminação do vírus são uma questão de sobrevivência. Completando 1 ano de pandemia, esta é uma necessidade urgente e essencial para o combate ao novo surto da doença

A higienização de ambientes tornou-se prioridade total durante este período de pandemia. Mas não se trata apenas de uma simples limpeza. Agrega agora processos e produtos que possam assegurar ambientes verdadeiramente seguros para saúde e segurança de todos.

Nestes período de pandemia, atravessamos uma jornada dura e repleta de mudanças. Uma das grandes rupturas foi a área da limpeza, que estava “estática” por anos. Sua importância foi ressignificada e hoje, mais do que nunca. Ou seja, representa o principal método de prevenção à disseminação do vírus.

Porém, não é a simples limpeza que já conhecemos. As práticas tradicionais não funcionam mais. Diante das novas cepas e mutações do vírus, tudo o que sabíamos até aqui mudou.

A higienização de ambientes deve ser eficiente mesmo no contexto dos novos e diferentes ciclos de contaminações. Por isso, precisa ser executada por profissionais capacitados, utilizando os produtos corretos que garantam sua total efetividade.

A limpeza tornou-se sinônimo de conhecimento. Muito além de ter habilidade, é necessário entendê-la de forma técnica. A falta de higienização potencializou a contaminação da Covid-19 e não há mais brecha para pecarmos por este erro.

Higienização de ambientes – uma questão de saúde e segurança

Já sabemos que a limpeza profissional é diferente da doméstica. A higienização tornou-se uma questão de saúde e segurança. Precisa ser levada muito a sério.

Mesmo com a circulação reduzida de pessoas nas áreas comuns de condomínios, por exemplo, não se elimina a possibilidade do foco do vírus. Portarias e halls de entrada, assim como as garagens devem estar em dia com a higienização regular.

Deste modo, é preciso despender atenção especial a alguns locais específicos que podem ser propícios à disseminação do vírus.

Atenção às superfícies

As superfícies constantemente tocadas e que não tem como evitar o compartilhamento. Por exemplo, maçanetas, corrimãos, painéis eletrônicos de senha, interfones e telefones precisam de limpeza constante e adequada. De preferência a cada vez que alguém os utiliza.

Já objetos como chaves e canetas dos síndicos, porteiros ou zeladores, deve-se evitar ao máximo o compartilhamento. Ou seja, fazendo uso apenas de forma individual. E nos casos de necessidade de uso por pessoas diferentes, a limpeza deve ser feita logo após o manuseio.

Outro local de risco de contaminação são os elevadores. Por serem fechados e pouca circulação de ar, tornam-se ambientes muito propícios à proliferação do vírus.

Como seu funcionamento não pode ser interrompido, orienta-se que a utilização dos elevadores seja feita apenas por três pessoas por vez. A higienização das cabines deve ocorrer de duas em duas horas.

Paredes, pisos e botões, por exemplo, devem ser desinfetados, tomando o cuidado com os produtos químicos para não danificarem visores, peças de plástico e acrílico.

Ambientes corporativos, comerciais e escolares, por exemplo, também precisam de muito cuidado. E ainda, banheiros públicos, vestiários em empresas e academias são extremamente suscetíveis. A higienização deve ser regular, seguindo todas as recomendações de sanitização.

Neste retorno às aulas, o serviço de transporte dos estudantes – vans, ônibus e micro-ônibus – também precisa seguir os protocolos sanitários estabelecidos pelo governo. Assim como os serviços de transporte urbano, como os táxis, motoristas de aplicativos, etc.

A limpeza profissional é diferente da doméstica

Muito além da habitual limpeza doméstica, a higienização envolve processos técnicos e profissionais. Para limpeza seguida de desinfecção, os produtos recomendados pela AbralimpAssociação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional são:

Para limpeza

Os produtos tradicionais cumprem a função de realizar uma limpeza:

  • Detergentes;
  • Limpadores;
  • Limpadores dois em um (limpeza + desinfecção);
  • Multiuso;
  • Solução de ozônio aquoso.

Para desinfecção

Para realizar a desinfecção é necessário um conjunto específico de produtos químicos e conhecimento para ministrar eles:

  • Ácido peracético: Indicado para restaurante e bares, é normalmente utilizado na desinfecção de locais onde há manipulação de alimentos e também em utensílios odontológicos. É totalmente seguro e não representa risco para a saúde humana.
  • Biguanida polimérica: Com rápida ação, é comumente utilizado para desinfecção doméstica e possui efeito bactericida. Presente nas formulações de desinfetantes e saneantes, sua aplicação abrange áreas industriais e de agroquímicos.
  • Hipoclorito de sódio: Sua utilização mais comum está na lavagem de verduras, purificação de água para consumo e também no clareamento de roupas brancas.
  • Peróxido de hidrogênio: Também conhecido como água oxigenada, este componente tem ação antisséptica e desinfetante.
  • Quaternário de amônia: Com ação fungicida, virucida, germicida, bactericida e bacteriostática, pode ser aplicado no processo de descontaminação de equipamentos hospitalares e também para sanitização de diversos ambientes. Ou seja, é extremamente seguro e apresenta excelentes resultados.
  • E outros princípios ativos atestados pela Anvisa.

Equipamentos de Proteção Individual adequados

Outro ponto importante são os EPI’sEquipamentos de Proteção Individual. Os protocolos indicados vão de acordo com o tipo de ambiente.

Para ambientes com suspeita ou comprovação de contaminação:

  • Luva de trabalho pesado;
  • Capote/avental;
  • Máscara;
  • Óculos de ampla visão;
  • Botas ou sapatos de trabalho fechados.

Para ambientes diversos (sem a suspeita ou confirmação):

  • Luva;
  • Óculos de segurança;
  • Botas ou sapatos de trabalho fechados.

O que diz a Organização Mundial da Saúde

De acordo com recomendações da OMS Organização Mundial da Saúde – as luvas e aventais não descartáveis devem ser lavados com água e sabão logo após o uso, utilizando solução de hipoclorito de sódio para descontaminação.

Óculos de proteção e protetores faciais, por exemplo, não devem ser compartilhados. Ou seja, seu uso é exclusivo de cada profissional. A desinfecção dos acessórios pode ser realizada com álcool líquido 70%, hipoclorito de sódio ou outro desinfetante na concentração recomendada pelo fabricante.

Conte com a consultoria técnica do Facilities Segura

Sendo assim, não restam dúvidas que a higienização de ambientes é uma necessidade vital em todas as esferas. Ou seja, em condomínios, empresas, áreas comerciais e demais locais de circulação humana.

A boa notícia é que existe um serviço altamente especializado, que oferece o combo completo no âmbito do aperfeiçoamento de limpeza.

O facilities, como o próprio nome já diz, vem como um serviço facilitador que presta apoio completo na coordenação do sistema de limpeza e conservação.

Realizando uma gestão 360 graus, o facilities cuida dos 3 pilares fundamentais que garantem um serviço de higienização de ambientes eficaz: pessoas (mão de obra qualificada), ferramentas e equipamentos. Aliado a tudo isso, ainda há a otimização dos custos e a garantia de um trabalho de altíssima qualidade.

Entre em contato com a Segura e entenda como a consultoria técnica do facilities pode ser substancial para o seu negócio!

Sem comentários

Desculpe, mas o formulário de comentários está desativado.