O Grupo Segura está com você
Com mais de 20 anos de atuação, o Grupo Segura, bem como asseio e conservação, e terceirização de serviços administrativos.


Blumenau

SEGURANÇA PRIVADA
Rua João Pessoa, 3.152
CEP 89036-004
47 3035 8009

SERVIÇOS
Rua Dr. Antônio Haffner, 389<br/>
CEP 89036-640<br/>
47 3035 4000

365 dias por ano

Atendimento 24 horas por dia

47 3035 8000

contato@gruposegura.com.br

Topo
 
Grupo Segura > Vigilância  > Você saberia dizer se existe diferença entre vigia, vigilante e porteiro?
Diferença entre vigia, vigilante e porteiro

Você saberia dizer se existe diferença entre vigia, vigilante e porteiro?

A função de quem trabalha com segurança é resguardar a vida e o patrimônio das pessoas. Mas será que existe diferença entre vigia, vigilante e porteiro ? Entenda a seguir!

A vigilância patrimonial é um dos serviços de segurança com maior demanda e continuarão a crescer.

Quem ajuda a reforçar essa afirmação é o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. O relatório traz índices alarmantes, mas, que só confirmam o que temos visto na prática todos os dias.

A violência urbana é, hoje, um dos maiores desafios que enfrentamos. Basta assistir aos noticiários para perceber o quão grave é a situação.

Com o crescimento da criminalidade, serviços de segurança privada têm sido cada vez mais procurados.

Contudo, na ansiedade por uma solução rápida, os papéis do vigia, do porteiro e do vigilante patrimonial acabam por ser confundidos entre a população no geral.

E você, sabe a diferença entre vigia, vigilante e porteiro?

Se você ficou na dúvida, não se preocupe. O artigo abaixo vai te ajudar nestas questões.

Você, não só, vai entender a diferença entre vigia, vigilante e porteiro, como também os requisitos que um profissional formalmente contratado deve ter. Acompanhe para saber tudo sobre o assunto!

Afinal, qual a diferença entre vigia, vigilante e porteiro

Vamos direto ao ponto: as funções de vigia e porteiro são bem similares. Entretanto, são bem diferentes das funções de um vigilante.

O vigilante é regido pela Lei 7.102/1983, com alterações acrescentadas pela Lei nº 8.863/94, exercendo com isso, a função parapolicial.

Ainda, a profissão de vigilante é fiscalizada pela Polícia Federal. Fato que exige a formação do profissional em cursos reconhecidos e a comprovação do registro pela Carteira Nacional de Vigilante. O que também dá a categoria o direito ao porte de arma.

Essas normas orientam o funcionamento das empresas que operam com esses serviços, o que garante a idoneidade e a segurança na contratação.

Ao contrário do que acontece com o vigilante e o porteiro. O exercício do vigia e do porteiro não é regido por lei, não tem nenhuma ligação com a Polícia Federal e não é exigida nenhuma formação específica. Por conta disso, em geral, o vigia e o porteiro são profissionais que exercem funções bastante limitadas.

Então para que os vigias e os porteiros são contratados?

Os vigias e os porteiros, apesar de não terem uma profissão regulamentada, também exercem um importante papel.

Os vigias têm como função a guarda e o zelo do patrimônio. Porém, é importante saber que essa atividade deve ser estática. Não é especializada e deve se limitar as tarefas de fiscalização e observação do patrimônio fechado.

Já o porteiro, tem a função de controlar o fluxo de pessoas. Assim como, orientar e encaminhar as pessoas aos locais desejados.

25 falhas comuns para comprovar que você não está seguro

Quais requisitos um vigilante deve ter

Em contrapartida, o campo de atuação do vigilante é mais amplo. E, justamente por isso, é exigido porte de arma, treinamentos e requisitos específicos.

À eles cabe a vigilância patrimonial das instituições e a segurança das pessoas físicas. Além disso, são qualificados também para realizar o transporte de valores e outras cargas.

Exigências para o exercício da função de vigilante:

  • Ser brasileiro (nato ou naturalizado)
  • Ter ensino fundamental completo e idade mínima de 21 anos
  • Ser aprovado em curso de formação de vigilante reconhecido pela Polícia Federal
  • Ser aprovado em exame de aptidão física, mental e psicotécnico
  • Não ter antecedentes criminais
  • Estar em dia com as obrigações eleitorais e militares
  • Manter-se preparado para o exame das suas funções e passar anualmente por exames que comprovem a saúde física e mental.

Como você pode ver, mais do que uma simples diferença entre vigia, vigilante e porteiro, o exercício da função impõem regras, e elas são bem rígidas. Entender tudo isso é essencial para saber qual serviço contratar.

Faça a escolha certa para se resguardar de problemas futuros e garantir que a segurança do local onde você mora ou trabalha será efetiva.

Se ainda ficou alguma dúvida sobre a diferença entre vigia, vigilante e porteiro ou se você quer aprender mais sobre segurança patrimonial, converse com nossos especialistas. Que tal agora?